Clássicos da Favorita
Homem negro é espancado até a morte por seguranças do Carrefour no RS
Divulgação/Reprodução

Em nota, a rede de supermercados classificou a morte como ‘brutal’ e afirmou que rompeu contrato com a empresa terceirizada, responsável pela segurança do local; João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, morreu no estacionamento da loja.

 

Na noite desta quinta-feira, 19, – véspera do feriado da Consciência Negra, um homem, identificado como João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, morreu após ser espancado nas dependências do supermercado Carrefour, no bairro Passo D’Areia, na zona norte de Porto Alegre. João teria se envolvido em uma discussão com uma funcionária do caixa e três seguranças foram acionados. Segundo a Brigada Militar, o homem negro foi levado para o estacionamento e espancado. Ainda durante a madrugada desta sexta-feira, 19, o Carrefour publicou uma nota e classificou o assassinato como “brutal”. “O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada”.

Os três seguranças foram presos pela Brigada Militar – um dos envolvidos era um PM temporário. Em nota, a corporação afirmou que o PM “não estava em serviço policial, uma vez que suas atribuições são restritas, conforme a legislação, à execução de serviços internos, atividades administrativas e videomonitoramento”, mas sua conduta será igualmente avaliada “com todos os rigores da lei”. “Imediatamente após ter sido acionada para atendimento de ocorrência em supermercado da Capital, a Brigada Militar foi ao local e prendeu todos os envolvidos, inclusive o PM temporário. A Brigada Militar, como instituição dedicada à proteção e à segurança de toda a sociedade, reafirma seu compromisso com a defesa dos direitos e garantias fundamentais, e seu total repúdio a quaisquer atos de violência, discriminação e racismo, intoleráveis e incompatíveis com a doutrina, missão e valores que a Instituição pratica e exige de seus profissionais em tempo integral”, diz a nota.

Leia também
Covid-19

Anvisa deve liberar segundo lote da CoronaVac nesta sexta-feira

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá realizar nesta sexta-feira, 22, uma reunião da diretoria colegiada para decidir sobre …

Há 1 mês atrás - 749
Política

Erundina diz que impeachment e volta do auxílio emergencial são prioridades da Câmara

A deputada federal Luiza Erundina (PSOL) defende que a aprovação do processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, assim como o …

Há 1 mês atrás - 963
Futebol

Ídolo, Souza critica fase do São Paulo: ‘Parecendo o Corinthians e quem não tem Mundial’

Multicampeão pelo São Paulo, o meio-campista Souza fez duras criticas ao time após a vexatória derrota para o Internacional pelo placar de …

Há 1 mês atrás - 688